A CONPOEMA Recebeu… o Grupo Pandora de Teatro

0

O Grupo Pandora de Teatro, atuante no bairro de Perus-SP, desenvolve um importante trabalho de pesquisa de teatro de grupo, e desenvolve uma Ocupação Artística, intitulada Ocupação Canhoba, onde realiza oficinas, cineclube, os ensaios do grupo, apresentações de seus e trabalhos de parceiros.

Com 13 anos de trabalho, montou 9 espetáculos, dentre eles, importantes obras que falavam acerca da realidade do bairro de Perus, em especial o “Relicário de Concreto”, que conta a história da Fábrica de Cimento Portland Perus, cuja greve durou 7 anos. E este ano, o grupo estreou o primeiro que espetáculo que foi desenvolvido na/para sua sede.

A obra “Nomes Para Furacões”, estreou na Ocupação Canhoba, e posteriormente ficou em cartaz na capital paulista, em sedes de grupos parceiros do Pandora, dentre eles, na sede da Cia. Do Feijão.

Nesta sexta-feira passada, o espetáculo chegou até Francisco Morato, e foi apresentado na programação do projeto “Conpoema Recebe”, no CEU das Artes, no Jd. Vassouras.

A montagem do grupo apresenta os conflitos de uma cidade destruída pela guerra, que não se torna mais um lugar habitável, sendo necessário que seus moradores fujam para outro país. O terror das bombas e da violência militar, se contrapõem ao desejo de permanecerem no próprio lar, esses conflitos são vivenciados por Alice e seu pai, que durante o espetáculo tenta convencê-lo de partir. A obra não define um local no mundo, mas remete à diversas guerras já acontecidas e aquelas que ainda duram até os dias de hoje, como a guerra da Síria.

O espetáculo foi concebido a partir do pensamento de de Zygmunt Bauman na obra “Estranhos à nossa porta”, e o grupo trata da temática criticando a negligência dos órgãos de proteção de direitos humanos e dos demais países, em relação aos países atacados, e constrói a narrativa de forma não linear, recortada por flashes e mudanças de trajeto do enredo, ao decorrer da história, aprofundando a pesquisa do grupo no realismo fantástico, e no teatro do absurdo.

A apresentação foi realizada para alunos da escola Pedro Paulo de Aguiar, e dialogou muito com os jovens, por passar acertadamente tanto pelo drama quanto pelo humor.

Agradecemos muito a parceria firmada mais uma vez, e no próximo fim de semana, seremos nós do Teatro Girandolá que estaremos na sede do grupo Pandora, apresentando o espetáculo “Sevirismo: os mais espantosos causos e descausos de uma ponte seca”, na praça em frente a Ocupação Canhoba, no dia 29, domingo, às 16h.

Endereço: Rua Canhoba, s/n – ao lado do nº 333 na Praça Canhoba, próx. à caixa d’ água em Perus, São Paulo/SP.

Mais informações sobre as ações do Pandora, acesse: http://grupopandora.blogspot.com.br/

Ou ligue: Fone: (11) 96676-5815 (Oi/Wts)

Compartilhar.

Sobre o autor

27 anos, Francorrochense, Atriz, Produtora Cultural, Co-fundadora da Associação Cultural CONPOEMA, Feminista e Co-fundadora do coletivo Baciada das Mulheres do Juquery, vegetariana, divide a casa com seu cachorro Romeo e seu gato Fellini.

Deixe um comentário