As histórias do povo de um lugar

0

_MG_0435Nossa última parada da temporada de estreia do espetáculo “Sevirismo”, do Teatro Girandolá, foi no bairro do Jd. Vassouras, no CEU das artes, na programação do OcupaCEU.
Durante todo mês de apresentações não tivemos contratempos, tivemos uma estreia bastante tranquila, mas neste sábado ficamos um pouco preocupados com a chuva, que não cessava, mas por sorte, ela só veio neste último dia, em que estaríamos lá no CEU, onde havia uma quadra coberta que conseguia comportar o espetáculo, onde até mesmo já havíamos utilizado para ensaios do espetáculo. Queríamos muito apresentar a obra completa naquele espaço, em que muitos tinham acompanhado o processo de construção, mas nossa preocupação era se o público iria comparecer mesmo com aquela chuva e frio, mas felizmente fomos surpreendidos, pois tivemos a presença de muitas pessoas interessadas em ver o nosso trabalho.
Todos os meses estamos junto com moradores do bairro realizando o OcupaCEU, e este trabalho permanente é muito importante para formação de plateia, para criação de vínculo da comunidade com o espaço, e para contribuir com o acesso à arte, além de contribuir para que mesmo num dia como sábado, com um tempo desfavorável, ainda assim o público estivesse presente. Não podemos deixar de dizer que o trabalho de divulgação feito por parceiros na comunidade, também é muito importante, e nós agradecemos demais.
E nesta apresentação o público mais uma vez se envolveu com a história dos 07 retirantes que deram vida a cidade de Francisco Morato, vendo as histórias de seus avós, de seus pais e algumas de suas próprias histórias sendo recontadas.

Foi uma apresentação bastante gratificante, como toda a temporada de estreia, em que só tivemos boas experiências e boas trocas, podendo sensibilizar a população e também sendo trasbordados por ela. Ouvir cada relato de quem viu a peça é muito importante pra nós, e ter uma devolutiva tão positiva é emocionante. Há quem acompanha nosso trabalho há anos, e se por um lado nossa responsabilidade aumenta, por haver de certa forma uma preocupação com a qualidade da obra, na postura e discurso do grupo, por outro, há uma imensa alegria em perceber que temos um publico cativo, que respeita e admira nosso trabalho.
Estamos muito contentes com o resultado do espetáculo, e queremos agradecer a todos que colaboraram para que estas apresentações de estreia pudessem acontecer, agradecer a todos os espaços e todos que foram assistir, e esperamos poder contar os Causos e Descausos da nossa Ponte Seca para muito mais gente, em lugares ainda mais distantes!
A caminhada do “Sevirismo” está apenas começando, borandá!

Este projeto foi contemplado pelo edital do ProAC – programa de ação cultural, do Governo do Estado de São Paulo, para produção de espetáculos de teatro.

Para essa temporada de estreia, tivemos apoio da Agência 8 Cultural, Comunidade da Vila Rosina, CTN Itinerate, Prefeitura de Francisco Morato e Prefeitura de Franco da Rocha.

Outras informações: 4488-8524

Compartilhar.

Sobre o autor

27 anos, Francorrochense, Atriz, Produtora Cultural, Co-fundadora da Associação Cultural CONPOEMA, Feminista e Co-fundadora do coletivo Baciada das Mulheres do Juquery, vegetariana, divide a casa com seu cachorro Romeo e seu gato Fellini.

Deixe um comentário