Voz para as mulheres!

0

_MG_5854O Oxandolá [In]Festa está passando bem depressa, estamos vendo tanta coisa maravilhosa, que não queríamos que isso acabasse nunca, nessa penúltima semana, para nossa alegria, as atrações começaram mais cedo, levando mais uma atividade teatral para o CEU das artes de Francisco Morato, o evento aconteceu na quinta-feira, dia 01 de junho.
A Improvável Companhia é formada por 18 atores, saídos das oficinas culturais de Franco da Rocha, em sua maioria já haviam participado das oficinas teatrais nos anos anteriores, e no final de 2016 estavam com um espetáculo bastante emocionante em mãos, fruto da pesquisa na obra de Clarice Lispector. Felizmente, após o fim das aulas, decidiram se estruturar como grupo para manter o trabalho, e continuar apresentando “Vozes de Clarice”.
Fico extremamente feliz pelo resultado do trabalho, por terem escolhido se debruçar em uma obra tão densa e ter uma sensibilidade tão refinada para retratar temas como assédio, violência contra mulher, liberdade, machismo, temas essenciais para serem discutidos e confrontados nos dias atuais.
O teatro do CEU estava repleto de pessoas, algumas salas da escola Pedro Paulo de Aguiar, de Francisco Morato, haviam reservado lugar para ver o espetáculo, além de também contar com o público espontâneo. Em sua maioria, também eram jovens que estavam na plateia, e que viam jovens atores contarem histórias tão profundas, tantas coisas devem ter passado em suas cabeças, nas cadeiras, os olhares eram atentos, como uma aula importante de se assistir. No palco, em sua maioria, mulheres, no grupo, apenas 05 são homens, assim, as Vozes de Clarice, eram também das mulheres em cena, o que resultou numa obra bastante honesta. E sim, mesmo fora da escola, sabemos que os alunos estavam aprendendo demais, para além das matérias curriculares, ali era um momento de convivência, de identificação, seja com as histórias, seja com os artistas, era possível ver que muitos estavam emocionados, choraram, transbordaram seus sentimentos. Através da peça, possivelmente, repensaram suas posturas, foram sensibilizados para a dura realidade que nós, mulheres, enfrentamos até os dias de hoje, e até mesmo foram despertados para a possibilidade de também fazerem arte, como alguns que, ao final do espetáculo, saíram interessados em saber onde também poderiam fazer oficina de teatro.

Sabemos o quanto esta apresentação foi importante, e o quanto é necessário que cada vez mais as pessoas tenham acesso a arte, para terem a possibilidade de olhar a vida com outros olhos, de uma forma que nunca tinham visto antes.
Agradecemos imensamente à escola que liberou a ida dos alunos, aos professores que os levaram até lá, e aos parceiros da Improvável Companhia, por esta incrível experiência!  Fico feliz também por eles terem se encontrado, é uma grande sorte estar num grupo tão grande e diverso, mas ter uma sintonia tão boa, que é vista dentro e fora de cena. Parabéns!

A programação do festival Oxandolá [In]Festa, vai até o dia 10 de junho, e todas as atrações são gratuitas, confira clicando aqui!

O Oxandolá é uma realização da Associação Cultural CONPOEMA, e no ano de 2017 o evento foi produzido com recursos próprios, contanto com a parceria dos coletivos que integram a programação e apoio da Secretaria de Cultura de Franco da Rocha e da Secretaria de Cultura de Francisco Morato.

Outras informações: 4488-8524

Compartilhar.

Sobre o autor

27 anos, Francorrochense, Atriz, Produtora Cultural, Co-fundadora da Associação Cultural CONPOEMA, Feminista e Co-fundadora do coletivo Baciada das Mulheres do Juquery, vegetariana, divide a casa com seu cachorro Romeo e seu gato Fellini.

Deixe um comentário