Ocupando e transformando a varanda da nossa Casa de Cultura!

0

No dia 20 de maio, a partir das 19h30, a varanda da Casa de Cultura de Franco da Rocha vai virar palco do Oxandolá [In]Festa 2016, pro som de 3 bandas musicais de nossa região: Amarelo Marinho, de Caieiras; Chalabrão e Seo Bandolindo, de Franco da Rocha e Doutor Jupter, de Mairiporã. As 3 bandas são bastante atuantes em nossa região e tem como característica em comum a produção de músicas autorais.
amareloA Amarelo Marinho traz ao público, em seus shows, uma variedade sonora de ritmos e melodias com raízes fortalecidas sobretudo na Música popular brasileira e no Rock. Mescla canções autorais e canções canções de artistas que foram fundamentais em sua formação como Caetano Veloso, Mutantes, Secos e Molhados, entre outras influências da música mundial.

 

bandolindoChalabrão e Seo Bandolindo formou-se em 2015, da junção de poetas, compositores e músicos com o intuito de executar e dar voz e vez às canções da parceria do Poeta, Letrista e Compositor André Arruda com o Compositor e Cantador Charlis Abraão.

jupter-casaJá o Doutor Jupter abusa do Folk, Country e Música Popular Brasileira como ingredientes que dão origem ao seu contagiante Rock Caipira.
Essas apresentações fazem parte do projeto Na Varanda da Nossa Casa, idealizado e promovido pela Secretaria Adjunta de Cultura. O projeto vem sendo desenvolvido desde abril e além de propiciar ao público conhecer e prestigiar o trabalho de artistas da nossa região, tem também como objetivo dar maior visibilidade a um dos únicos prédios históricos que restaram no centro da cidade.
O projeto Na Varanda da Nossa Casa acontece sempre na quarta sexta-feira de cada mês, porém, em maio, devido ao feriado de Corpus Chriti, acontecerá no dia 20.

Quando? 20 de maio às 19h30
O que? Projeto Na Varanda da Nossa Casa
Onde? Casa de Cultura de Franco da Rocha (Boulevard Giuliano Cecchettinni, Centro, no calçadão em frente a estação de Franco da Rocha)

Compartilhar.

Sobre o autor

Virginiana, ativista cultural, moratense e cultivadora de muitas paixões: teatro, gatos, chocolates, crianças, culinária, dentre outras. Acredita na Arte como potente ferramenta de inclusão e transformação social. Sonha com um Brasil menos desigual.

Deixe um comentário